• Comunicação Gnosis

Hospital da Mulher Heloneida Studart realiza treinamento de prevenção de lesão por pressão

Desde o início de 2021, o Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti, vem realizando treinamentos voltados para as metas internacionais de segurança do paciente. Durante o mês de julho foi realizado o treinamento da meta 6, o de prevenção de lesão por pressão, que vem a ser uma das consequências mais comuns, resultantes da longa permanência em hospitais e a incidência aumenta devido a combinação de fatores de risco como parte nutricional, quadro clínico e restrição no leito por longo períodos.


A lesão por pressão causa danos consideráveis aos pacientes, dificultando o processo de recuperação funcional, frequentemente causando dor e levando ao desenvolvimento de infecções graves. Também tem sido associada a internações prolongadas, sepse (conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção) e mortalidade.


Ao final do treinamento, os colaboradores foram convidados a fazerem parte de um time (Stop LPP) em que receberam adesivos com esse tema e, a partir de então, são multiplicadores nos seus setores. Foram capacitados 352 colaboradores de todas as áreas do hospital e em agosto essa campanha continuará sendo realizada.


O que é segurança do paciente?

Segurança do paciente é o fator mais importante para avaliar a qualidade de assistência à saúde. Consiste em um leque de ações voltadas para prevenir os riscos e danos, ou pelo menos reduzi-los. Num ambiente de promoção da saúde e cuidados, todos os profissionais de saúde têm a responsabilidade sobre este quesito, que passa a ser ainda mais exigido pelas pessoas.

A falta de cuidado pode levar a um maior tempo de internação do paciente, dentre outras possibilidades. Com a Aliança Mundial para a Segurança do Paciente, criada em 2004, a Organização Mundial da Saúde (OMS) propõe 6 (seis) metas globais para alcançar a qualidade do atendimento. São elas:

  1. Identificação correta do paciente;

  2. Melhora na comunicação entre os profissionais de saúde;

  3. Higiene das mãos para evitar riscos de infecções;

  4. Segurança cirúrgica, em relação ao local de intervenção e ao paciente;

  5. Administração, prescrição e uso seguro de medicamentos;

  6. Prevenção de quedas dos pacientes e úlceras por pressão.

O Brasil é um dos países signatários do acordo, cujo objetivo é aplicar os protocolos de segurança para melhorar a efetividade, eficiência e equidade.


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo