• Comunicação Gnosis

Consultório na Rua: estratégia da Atenção Básica beneficia pessoas em situação de rua no Rio

Duas mesas no meio da calçada, café, suco, pães e, diálogo, muito diálogo entre a equipe multidisciplinar da Clínica da Família Faim Pedro e pessoas em situação de rua, que costumam ficar ao lado da estação de trem de Padre Miguel, no Rio. Área marcada por diversas vulnerabilidades sociais como a presença do narcotráfico, o uso abusivo de substâncias psicoativas e violência. Assim é o Café Cultural, uma estratégia do “Consultório na Rua”, extensão da Atenção Básica para pessoas com maiores dificuldades de acesso ao SUS.


“É uma forma que a gente tem de acessar os usuários que ficam no entorno da linha de trem e, assim conseguimos uma abordagem, aproximação e fortalecimento de vínculo. Oferecemos atendimento integral a este público, pensamos numa linha de cuidado e fazemos ações de promoção da saúde”, afirma a Terapeuta Ocupacional Daniele Holanda, integrante da equipe multidisciplinar da unidade.


Quinzenalmente, sempre às segundas-feiras pela manhã, a van com a equipe - composta por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, agentes sociais, psicólogo, assistente social e terapeuta ocupacional - segue em direção para as conversas, escutas e atendimentos aos usuários. A equipe também é campo de estágio externo da residência uni/multiprofissional em saúde da família da Escola Nacional de Saúde Pública/ Fiocruz e da Secretaria Municipal de Saúde - SMS.


Novas demandas são geradas a partir dos atendimentos realizados e a Rede Intersetorial da CAP 5.1 é responsável pelo acompanhamento. Desta forma, percebe-se a necessidade da ampliação para outras áreas de acentuada fragilidade dentro do diagnóstico situacional da população de rua local: idosos com uso abusivo de álcool de longa data, crianças e adolescentes.


A oferta dos serviços do “Consultório na Rua” não é uma imposição e sim uma conscientização sobre a possibilidade do cuidado integral, centrado na pessoa, fundamentado nas políticas de redução de danos e do cuidado com a população de rua, de forma que os usuários se reconheçam como cidadãos, com direito a saúde e tomando iniciativas de buscar os serviços quando necessários.


“Temos parcerias com todos os dispositivos de saúde da CAP 5.1 para fortalecer o trabalho em rede, trazendo todas as singularidades da rua para dentro da rede de atenção à saúde”. finaliza Aline Azevedo Vidal, Gerente da Unidade de Saúde da Clínica da Família Faim Pedro.


197 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo